ūüé• O Planejamento do Setor El√©trico para 2029

Por Nivalde de Castro e Camila Vieira.

O artigo foi publicado pelo serviço de informação Broadcast da Agência Estado de São Paulo em 20 de novembro de 2019 (Clique aqui acessar o PDF).

Um breve resumo do artigo pela pesquisadora Camila Vieira.

O Setor El√©trico Brasileiro (SEB) tem como um dos pilares que explicam o seu crescimento sustent√°vel o planejamento feito pela Empresa de Pesquisas Energ√©ticas (EPE). Normalmente, a cada ano, a EPE realiza proje√ß√Ķes para os pr√≥ximos 10 anos, complementados por estudos pontuais de temas mais relevantes, publicados no Plano Decenal de Expans√£o (PDE).

Buscando transpar√™ncia e ader√™ncia com a sociedade e, mais precisamente, com os agentes do SEB e das cadeias produtivas e financeiras relacionadas, o PDE √© colocado em consulta p√ļblica e recebe contribui√ß√Ķes dos interessados, o que faz com que este documento, a cada novo ano, ganhe mais credibilidade, import√Ęncia e fundamenta√ß√£o. Ap√≥s a publica√ß√£o da vers√£o final, o PDE transforma-se na pol√≠tica energ√©tica oficial do SEB. No momento, est√° em consulta p√ļblica o PDE 2029, sobre o qual este artigo ir√° analisar as principais tend√™ncias do processo de transi√ß√£o el√©trica que o Brasil passa.

Um ponto de partida √© que se espera uma gradual retomada do crescimento econ√īmico, fato, ali√°s, esperado por todos. Este par√Ęmetro ‚Äď evolu√ß√£o do PIB ‚Äď impacta o comportamento da demanda de energia el√©trica. Nesta dire√ß√£o, o aumento do consumo de energia el√©trica √© estimado em 3,8% aa ao longo do dec√™nio, com um incremento m√©dio anual de 2,9 GW da capacidade instalada, devendo atingir 830 TWh, em 2029. Deste total, 122 TWh ser√£o vinculados √† inser√ß√£o dos Recursos Energ√©ticos Distribu√≠dos (RED) e de investimentos em efici√™ncia energ√©tica.

Merece ser destacado o aproveitamento crescente do potencial da micro e minigera√ß√£o distribu√≠da, cuja estimativa √© alcan√ßar 11,4 GW, em 2029, o que ir√° representar 2,3% da carga total do sistema. Demonstra-se, assim, o avan√ßo da gera√ß√£o fotovoltaica no pa√≠s, que na avalia√ß√£o dos autores, n√£o precisa de uma campanha de fake news, com o slogan de ‚Äútaxar o sol, n√£o‚ÄĚ para o seu crescimento garantido pela sua competitividade.

No que se refere à transição elétrica, o ponto crucial apontado pelo PDE é o fim da hegemonia das hidroelétricas, as quais, em 2029, deverão deter menos de 50% da capacidade instalada do SEB, com um acréscimo previsto de somente 6,4 GW em dez anos. No entanto, a matriz elétrica brasileira continuará a ser uma das ambientalmente mais sustentáveis do mundo, com mais de 80% de fontes renováveis, graças à expansão da geração eólica (40 GW) e solar (11 GW), além dos RED analisados anteriormente. Deste modo, os compromissos assumidos no Acordo de Paris para o setor elétrico deverão ser alcançados com folga.

Para garantir a segurança de suprimento do SEB com uma matriz tão renovável, paradoxalmente e de forma bem realista, o PDE 2029 atribui um papel fundamental às usinas termoelétricas. Além da construção de novas usinas, passando de 13 para 36 GW, o PDE 2029 expressa uma preocupação com a necessidade de modernizar o parque termoelétrico existente, com a finalidade de diminuir o custo variável unitário (CVU), a partir da operação com gás natural, o que demanda a estruturação de um novo mercado, em curso acelerado, para absorver toda a produção vinculada ao pré-sal.

Em rela√ß√£o √†s linhas de transmiss√£o, o PDE 2029 destaca, principalmente, as restri√ß√Ķes de transmiss√£o entre as regi√Ķes Norte e Sudeste/Centro Oeste para apoiar o escoamento do fluxo excedente de energia e√≥lica atrav√©s das interliga√ß√Ķes entre estas regi√Ķes, al√©m da necessidade de refor√ßar as linhas de transmiss√£o j√° existentes e exigindo novos mecanismos, como, por exemplo, linhas de transmiss√£o em ultra alta tens√£o.

Desta forma, os investimentos previstos em linhas de transmiss√£o somam R$ 73,6 bilh√Ķes, at√© 2029, indicando que este segmento ter√° novos leil√Ķes para manter o equil√≠brio din√Ęmico entre demanda e oferta. Ou seja, o segmento de transmiss√£o mant√©m-se como um neg√≥cio sustent√°vel e em expans√£o para toda cadeia produtiva, bem menos sens√≠vel √†s oscila√ß√Ķes do PIB.

Nestes termos, o PDE 2029 refor√ßa um modelo de expans√£o de sucesso √≠mpar no cen√°rio macroecon√īmico nacional. O SEB √© din√Ęmico, interligado e predominantemente renov√°vel, com o planejamento da expans√£o e da opera√ß√£o transparente, seguro e confi√°vel. Ap√≥s as contribui√ß√Ķes da consulta p√ļblica, ser√° divulgada, em dezembro deste ano, a vers√£o oficial do PDE 2029, j√° sendo poss√≠vel analisar os resultados dos estudos e orientar as decis√Ķes de investimento para os pr√≥ximos 10 anos. Nenhum outro setor da economia brasileira se iguala, fortalecendo as empresas, notadamente as cotadas em Bolsa.

%d blogueiros gostam disto: